Buscar
  • sermidiacomunicacao

Marcos Nunes Advocacia atua em caso de visibilidade Nacional

Operação Inventário da Polícia Civil estima recuperar mais de 1,5 milhão de reais em Curitiba


A Operação Inventário foi deflagrada nesta manhã do dia 26 de maio, cumprindo onze mandados de prisão, oito mandados de busca e apreensão e bloqueio judicial de bens de advogados, empresários e servidores públicos que cometiam a prática de crimes de estelionato e lavagem de dinheiro das vítimas que possuíam inventários.


A investigação iniciou-se no final do ano de 2020 quando o escritório de advocacia em Curitiba, que representa a vítima, apurou e informou a existência do golpe que atingiu patrimônio de herança destinado a sua cliente. A denúncia foi encaminhada à Polícia Civil sobre a possível fraude em um processo de inventário protocolado na comarca de Demerval Lobão, no estado do Piauí. “Usando documentos falsos e narrando fatos inexistentes, os advogados do local ingressaram com ação de inventário fraudulenta para alcançar o patrimônio de um cidadão falecido no estado do Paraná”, relata o Dr. Ivan Pazini, advogado que acompanhava o caso e faz parte da Banca de Advocacia Marcos Nunes Sociedade de Advogados, que atende os interesses da vítima nessa situação.


A agilidade e expertise da Advocacia Marcos Nunes, atuando como assistente de acusação permitiu que o Ministério Público, a Ordem dos Advogados e a Polícia fossem acionados. Em paralelo a esta operação, o escritório também montou outra megaoperação para conter o golpe. “Os magistrados acolheram nossos pedidos de bloqueio das contas e bens de todos os advogados envolvidos e, depois dessa denúncia no Piauí, descobrimos a existência de outras três ações trabalhistas fraudulentas no Maranhão”, disse. “Sempre nos colocamos à disposição da polícia para que fosse alcançado o sucesso dessa operação, e hoje recebemos a notícia de que todos foram presos preventivamente”, acrescenta.


A Advocacia Marcos Nunes é especializada em ações de grande porte. “Nós temos know how para a atuação em inventários de elevada monta, e mesmo diante de um problema desses a nossa atuação se mostrou bastante consistente para auxiliar as investigações e recuperar o patrimônio”, disse.


De acordo com o Dr. Marcos Nunes a apuração dos fatos e o resultado de toda operação é uma vitória para todos os advogados do Brasil. “Isso restaura a credibilidade nas instituições do país, para se entender que o crime é uma via que não ficará impune, isso é muito gratificante para nós”, destaca.


A Polícia Civil identificou que o grupo também está envolvido em tentativas de fraude de execuções fiscais, homologação de acordos trabalhistas e outras ações judiciais, em outras comarcas, tudo com objetivo de violar o patrimônio de pessoas falecidas. Estima-se que as fraudes até então identificadas tenham desviado mais de dois milhões de reais à organização criminosa.


A Operação foi deflagrada pela Polícia Civil do Estado do Piauí, com apoio da Diretoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (DINTE/SSP), em conjunto com as polícias dos Estados do Paraná, de São Paulo, e da Paraíba, e ainda, com suporte logístico do Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria de Operações Integradas.


Serviço:

Dr. Marcos Nunes - Advogado, docente e membro participante do Grupo de Estudos em Propriedade Intelectual da PUC(PR). Mestre em Direito Empresarial e Cidadania na Unicuritiba. Doutorando em Direito Empresarial e Cidadania pelo Centro Universitário Curitiba — UniCuritiba. Latim Legum Magister (LLM) em Direito Empresarial Aplicado, na Escola da Gestão da Indústria/FAMEC/FIEP. Pós-graduações em Direito Processual Civil (PUC/PR); em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho (Unicuritiba) e em Direito Contemporâneo (Faculdades Opet). Graduação em Direito na Universidade Estadual de Maringá (2005).


Dr. Ivan Pazini - Advogado Cível e Trabalhista do Escritório Marcos Nunes Advocacia. Graduação Centro Universitário Curitiba – UNICURITIBA. Pós- Graduação em Direito Processual Civil – Academia Brasileira de Direito Constitucional ABDConst.

206 visualizações0 comentário